SP sedia evento internacional para discutir aquecimento global

C40 reúne representantes das maiores cidades do mundo.
Evento ocorre pela primeira vez no Hemisfério Sul.

Do G1 SP

A cidade de São Paulo começa a receber nesta segunda-feira (30) representantes de diversas cidades do mundo para discutir o aquecimento global e as mudanças climáticas. O C40 acontece a cada dois anos.

Cerca de 500 pessoas são esperadas no evento que acontecerá em um hotel da Zona Sul. Segundo a Prefeitura, é o maior número de participantes desde 2005, quando houve a primeira reunião. O evento é uma oportunidade que as administrações têm de conhecer o que está sendo feito de mais moderno para acabar com o efeito estufa e poder combater as mudanças climáticas que afetam a população.

“O C40 nasceu do fato de que muitas cidades são pioneiras nas melhores práticas pra reduzir as emissões de gases do efeito estufa, mas são ruins na hora de contar umas pras outras o que estão fazendo. O C40 junta todo mundo pra conversar, aprender com a experiência e com os erros do outro”, explica o diretor executivo do C40, Simon Reddy.

Foi trocando ideias que Joanesburgo, na África do Sul, aprendeu com Bogotá, na Colômbia, a construir corredores de ônibus. Transporte coletivo que marcou a paisagem na Copa de 2010.

A cúpula se reúne a cada dois anos. A primeira vez foi em 2005 em Londres, na Inglaterra. Em 2007 foi em Nova York, nos Estados Unidos e, em 2009, em Seul, na Coreia do Sul. São Paulo é a primeira cidade do Hemisfério Sul a receber o evento.

“Pra cidade de São Paulo é uma alegria muito grande, é motivo de orgulho estarmos sediando esse evento. Serão discutidos temas da maior relevância e com isso teremos a oportunidade também não apenas de discutir esses temas, mas de mostrar para o mundo o que aqui realizamos”, diz o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab.

Além de sediar o evento, São Paulo vai apresentar iniciativas como os ônibus movidos a etanol, que começaram a circular nesta sexta-feira (27) e também a ciclofaixa de lazer, ampliada neste domingo (29) em mais 15 quilômetros e em mais duas horas.

Para o diretor executivo do C40, a capital paulista tem tecnologias ainda mais inovadoras, que outras cidades do mundo estão muito interessadas em conhecer. “Vocês têm um sistema de captura de gás que gera energia que é revolucionário.”

Simon Reddy se refere ao sistema de captação de gás usado em dois aterros sanitários de São Paulo – São João e Bandeirantes. Só no aterro Bandeirantes estão 30 milhões de toneladas de lixo. Os gases gerados pela decomposição desses resíduos, que antes poluíam, agora se transformam em energia elétrica.

O sistema de drenagem capta os gases e leva até a usina. Primeiro o gás é tratado na usina de captação e depois na usina termoelétrica vira energia elétrica. Em São Paulo a luz que vem do lixo, ilumina a vida de 700 mil pessoas.

Fonte:G1.globo.com – http://g1.globo.com/sao-paulo/respirar/noticia/2011/05/sp-sedia-evento-internacional-para-discutir-aquecimento-global.html

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s